segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Reflexos


Vejo sua face refletida no embaço
como um ser desconhecido,
sem passado, sem presente...
Os olhos fixos num destino incerto
tateiam um caminho.

Interrogo-me nesse instante:
Que ventos te trouxeram?
E para onde levaram novamente?
Mostre-me essa face
que vagueia por entre estrelas
[ofuscadas].

2 comentários:

  1. De acordo com o filósofo: "Tudo flui, nada persiste, nada permanece o mesmo".

    Obrigada pela visita ao Nudez Poética, assim como pelo gentil comentário!

    Abraços,
    Lou

    ResponderExcluir
  2. Seria verdadeiro o reflexo de um rosto?
    Sei que os meus atos refletidos são verdadeiros.
    Parabens pelo trabalho repentista!
    Kerollen

    ResponderExcluir