sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Desilusão

Madrugada...fria...imóvel...e te espero.
No infinto de possibilidades,
um caminho...
Mais qual?
Não se sabe...foi pra qualquer um,
menos à minha porta.
Te vejo num translúcido instante
inerte...
E a saudade talvez acompanha-me na escuridão
dos pensamentos que me assombram pela noite.

Sinto...

E uma sombra da tristeza infinita do meu ser
me acolhe...
No seus braços a segurança pelo menos é real.
Anjos à minha volta dizem: -vá, esqueça,
viva...
Viva a imensidão dos desejos à
sua espreita...
Siga sem saber pra onde...

Sigo...

E ao sair à noite...toda bruma
que me veio à face,
trouxe-me a lembrança dos sentidos
perdidos no tempo
e no espaço do vazio que você me deixou...

Nenhum comentário:

Postar um comentário