domingo, 21 de dezembro de 2008

Confissões...



Confesso, em dor imensa e aos brados que, em meu corpo
ardem
As chamas, de um desejo profundo de saudade
que me consome...
Confesso, que um segundo eternizado pode
acabar...mas o sentimento de toda a culpa não
e talvez essa escuridão não seja necessariamente um obstáculo....
Confesso, confesso que nunca disse uma palavra em
vão...e não sei se elas estão a deriva no mar do seu
pensamento...
e que quando a noite chegou todas as estrelas foram testemunhas
da minha dor profunda...
quando gritei ao infinito teu nome...






Nenhum comentário:

Postar um comentário